Viajar sem os filhos

Oi mamães, como estão?

Eu estou bem, e viva! Como eu já tinha dito no Instagram e no Facebook, não sabia se ia conseguir, mas, deu certo: viajei sem meus filhos e foi tudo ótimo!

Como pediatra sempre recomendei aos pais que tirassem um tempo para eles, individualmente e/ou para o casal. Porém, não tinha posto em prática na vida de mãe.

Pois bem, semana passada meu marido daria uma aula num Congresso em Lima, Peru, e me pediu que fosse com ele. Era a segunda vez que ele viajaria sem os meninos (na primeira tínhamos apenas o Arthur, com cinco meses, e eu fiquei). Na hora fiquei um pouco em dúvida, mas, como o Otávio já tinha deixado de mamar no seio, pensei que seria uma boa oportunidade para descansar e curtir um pouco o marido.

Ele estava bastante duro no início, dizendo que seria pouco tempo e que não tinha motivo para sofrimento. Porém, um dia antes da viajem, enquanto arrumávamos a mala, ele admitiu que estava angustiado de deixar os pequenos… no momento me senti normal, afinal, percebi que meu sentimento não era exagero ou superproteção.

Mas não desistimos, demos força um ao outro e fomos!

Muitas amigas com filhos, que já tinham viajado me deram dicas que foram preciosas para sofrer menos de saudade e aliviar o sentimento. Vou dividi-las com vocês, porque a maioria deu muito certo, curtimos bastante a viagem, namoramos muito, como antes dos filhos, pudemos passear a noite, ir a muitos restaurantes (aliás, depois farei um post só sobre a viagem, com muitas dicas sobre Lima), dormir até tarde e beber um pouquinho (sempre gostei de beber um pouquinho, mas sabendo que terei que cuidar dos meninos acabo não bebendo nada).

E agora, mais do que nunca, posso dizer que é muito bom tirar férias sem os filhos de vez em quando. Não precisa (e nem deve) ser muito tempo, vale a pena, faz bem para gente e para o casal.

No próximo post contarei às dicas que deram certo aqui em casa com os meninos.

 

blog viagem