Viajar com crianças pequenas – parte 1 ( os preparativos)

20141127-124512.jpg

Essa semana fizemos nossa primeira viagem grande ( já tinhamos passado final de semana em hotel perto) com os dois pequenos.
Fomos para Rio Quente passar 1 semana num resort. Na verdade ainda estamos aqui, mas como o dia hoje está chuvoso, tive um tempinho pra escrever o post e checar os emails.

Vou dividir este assunto em alguns posts, pois tenho MUiTA coisa para contar.

Pra começar, acho importante falar sobre o planejamento e os preparativos da viagem.
Em casa sempre tivemos o hábito de planejar as viagens com antecedência (uns 2meses pelo menos), e depois que nasceram as crianças, isto passou a ser ainda mais importante. Agora temos que checar bem tudo o que o hotel oferece, se tem recomendação de amigos e o tempo de viagem até o possível destino. Em relação ao hotel, pontos que sempre pesquiso são:

– o que o hotel tem de lazer para as criança a idade dos nossos filhos ( no meu caso, piscina e brinquedoteca são essenciais);
– se tem espaço da mamãe ( importante pra preparar leite, lavar mamadeira, pegar uma frutinha pro lanche das crianças, preparar ou esquentar as papas…);
– para os que comem comidinha, se o restaurante tem opções que eles gostem;
– se oferecem berço, banheira, grade de cama.

Eu particularmente, depois da chegada das crianças, prefiro hotéis que tenham todas as refeições incluídas, e opções de lazer suficientes para não precisar sair de lá. Já viajamos (quando tinhamos apenas o Arthur) para fora do país, onde o intuito era conhecer o local e não ficar no hotel, foi bem legal, mas voltamos ainda mais cansados (fisicamente) do que antes de ir, mas deixo isso pra outro post.

20141127-124503.jpg

Voltando ao tema, depois de escolhermos o destino e o hotel podemos relaxar um pouco, até as vésperas da viagem, quando temos que pensar, e fazer, as malas. Acho que fazer as malas é a parte mais cansativa de todas! É como preparar uma mudança, tentando diminuir ao máximo o número de volumes a ser carregado(afinal precisamos de mãos livres para correr atrás e pegar as crianças). O número de trocas de roupas é quase infinito! E o pior, o Arthur suja mais roupas que o Otávio!
Além das roupas e sapatos, nossos e deles, temos que levar fraldas, brinquedos (sim, eu trouxe uma mala só com fraldas, brinquedos e bóias de piscina).

Depois de uma longa noite arrumando tudo, tivemos que fazer malabarismos para entrar tudo no taxi que nos levaria ao aeroporto, garantir que não teríamos volume excedente no avião e que caberia tudo no carro que nos levaria de Goiânia para o hotel. Nossa, foi um sufoco, mas deu tudo super certo!

O vôo merece um post a parte, e nossa estadia também, depois conto com detalhes. Mas já posso adiantar que estamos nos divertindo muito e toda essa canseira que contei no post valeram super a pena (mesmo com a chuva que está aqui).

Agora vou curtir mais um pouco.

20141127-124947.jpg