Será que meu filho tem refluxo?

Bebê com refluxo

Olá mamães e papais, hoje vim aqui falar um pouquinho sobre esta doença que tanto assombra as mães.

Quase todo dia alguma mamãe me pergunta se seu filho pode estar com refluxo, e esta não é uma pergnta fácil de responder, e vocês vão entender o porquê.

Toda bebê TEM refluxo, mas nem todo refluxo é doença!

Você deve estar se perguntando: “Como assim?”

Bom, vamos lá: Todo bebê nasce com a válvula do esôfago (tubo que leva a comida) para o estômago imatura, e quando o deitamos após mamar a válvula, que deveria ficar fechada, relaxa e abre. É como se deitassemos uma garrafa pet sem tampa e com líquido dentro: vai vazar, ou seja, no bebê vai voltar (regurgitar)!  Este é o chamado “refluxo fisiológico”.  Não há remédio que faça o esfíncter amadurecer mais rápido, isto vai acontecer naturalmente entre 6 meses e 1 ano. Enquanto isso, é preciso muita calma e paninhos para limpar.

O Refluxo fisiológico não traz nenhum repercussão para o bebê, ele não vai ficar tendo “queimação” e irritabilidade, e vai continuar ganhando peso normalmente. Para alivira um pouco estes bebês só precisam ficar um pouco de pé (na posição de arrotar) por uns 10 minutos, mas mesmo assim ,se tiverem mamado em excesso este leite pode voltar.

Mas o refluxo que preocupa os médicos é o quando ele deixa de ser fisiológico e passa a se chamar “Doença do Refluxo Gastroesofágico” (DRGE).

A DRGE vai além das regurgitações, o bebê pode ficar irritado, deixar de ter prazer ao mamar, ter problemas respiratórios e passar a não ganhar peso adequadamente. Nestes casos mais intensos o tratamento medicamentoso vai ser necessário. O remédio serve para diminuir a acidez do estômago, diminuir a queimação que esta acidez pode causar ou até mesmo para esvaziar o estômago mais rapidamente.

Assim com as descrições escritas parece fácil diferenciar né?! Mas na hora da avaliação não fica tão simples, o pediatra precisa conversar muito com a mãe entender muitos detalhes, pois outras causas podem estar levando a alguns destes sintomas. Por isso é muito importante conversar com seu pediatra e confiar nele.

Aqui em casa passamos por maus bocados com a tal DRGE…o Otávio teve e foi muito difícil para mim aceitar que não era só um Refluxo fisiológico, ele passou a ficar muito choroso, não queria mais mamar e reguritava muito mais que o habitual. Foram dias terríveis até a pediatra deles (sim eles têm pediatra que não é a mãe) me convenceu que era DRGE e precisavamos tratar. Após o início do tratamento tudo foi se ajeitando e ele voltou a curtir as mamadas e ficou mais calmo.

Então, agora que você já sabe, se estiver na dúvida, converse com seu pediatra!