Quando ter filhos?

Gravidos (53 de 189)

Há menos de 1 semana fui almoçar com 2 grandes amigas, fazia tempo que não ficávamos papeando por longo tempo…

E como não podia deixar de ser, num certo momento da conversa o assunto foi FILHOS. Minhas amigas são casadas mas ainda sem filhos, enquanto eu, a “super -mãe” com 2 filhos pequenos! (este é, inclusive, um dos motivos da falta de tempo pra ficarmos papeando mais vezes…)

As duas sempre deixaram claro que queriam ser mães, o problema sempre foi: QUANDO ser mãe. E então parei pra refletir um pouco sobre este assunto.

Uma das meninas casou há menos de 1 ano, mas sempre disse que logo que se casasse queria engravidar, o marido sempre soube e sempre concordou com isto, mas agora ele está com medo. Quando meu filho mais novo nasceu ele ficou com vontade, mas depois, vendo outras mães com bebês pequenos (outras amigas próximas) ficou bastante assustado, achando que EU era a exceção, porque eu levava tudo numa boa, tinha o “dom”de ser mãe. Vai que eles não tivessem este “dom”.

Minha outra amiga há pouco mais de 1 ano uma delas queria muito engravidar, mas o marido estava resistente, queria acabar sua especialização, para eles terem um pouco mais de estabilidade financeira, e agora, o marido quer e ela está com medo. Medo do novo, do desconhecido, medo das privações que a maternidade pode trazer. Na verdade o que ela diz é que queria terminar de arrumar a casa, queria viajar de novo com o marido, etc. Mas eu, que passei por isso e tive meus medos durante as gravidez (medos diferentes em cada uma delas, mas isso é assunto pra outro post), entendo o que ela quis dizer de outra forma. Acho que ela quis dizer que tem medo de como vai ficar o casamento depois, será que vai viajar com o marido de novo? E a casa que ela arrumou e cuida com tanto carinho, o cantinho dela, como será que vai ficar? E o trabalho, como voltar a profissão depois do filho?

Sabe, eu entendo bem estes medos, minha primeira gravidez foi menos planejada do que será a destas amigas, e eu tive um pouco de cada um destes medos. E o que a dizer pra eles? Como ajudar nesta decisão com a minha experiência? Dizendo, que filho é uma grande responsabilidade, mas é a MELHOR responsabilidade que alguém pode ter. O casamento vai ficar mais forte (se ele já ia bem, claro. Filho não segura casamento, mas fortalece os que vão bem), vocês vão sim voltar a viajar juntos, mas por um tempinho este junto vai incluir alguém a mais, e vocês nem vão se importar. E depois viajar quando somos um pouco mais velhos, tem suas vantagens, por exemplo, teremos mais dinheiro e maturidade do que hoje.

Arrumar a casa? Deixa pra lá, sua casa será ainda mais aconchegante quando tiver muito brinquedos pela casa, um berço, um móbile e uma babá eletrônica no quarto de visitas.

Amigas, vocês vão ficar cansadas sim, mas a gente acostuma acordar a noite pra amamentar, dar colo e carinho quando o bebê chora. Garanto que isto tudo durará menos tempo do que as tantas noites que vocês já deram de plantão na vida de vocês (elas são pediatras também).

DSC00678Esta sou cansada… dá uma saudade…

E quanto ao “dom”da maternidade, eu não tenho não, nem meu marido o da paternidade, apenas levamos a vida de forma tranquila, pensando que se todo mundo passa por isso, nossas mães e pais passaram, porque não vamos conseguir? É só ficar tranquilo que tudo flui melhor. É claro que tem momentos que a gente cansa, que a gente acha que não vai conseguir. Tem noites que são mais difíceis e que no dia seguinte a gente tá exausto, mas a vida é assim, cheia de altos e baixos e se não encararmos numa boa, fica ainda pior.

E por fim, a mensagem que quero deixar pra elas e para todas as outras que não sabem qual a melhor hora pra ter filhos, a HORA é AGORA! Se você quer,  encare seu medo, jogue tudo pro alto e mergulha na maternidade! Se a gente for esperar acabar o mestrado, o doutorado, a casa estar pronta, melhorar o emprego, viajar o mundo, etc, o tempo passará!

O tempo não para, não espera e um dia pode ser tarde demais!

bagunça

A sala já não me pertence mais!