O que é puericultura?

Olá ficamos um período sem comunicação devido ao excesso de trabalho e cuidados com meus pequenos, mas, isso acabará, pois agora conto com uma assessora de imprensa que me ajudará no blog.
Nesse post falaremos sobre a puericultura, afinal é uma das minhas especialidades e gostaria de dividir com vocês sua importância. Começaremos do básico:

 

O que é Puericultura?

É uma especialidade médica da pediatria, que por meio de uma atenção integral, tem o objetivo de proteger a saúde das crianças e tentar assegurar um bom desenvolvimento físico e mental, desde o nascimento até a puberdade. Compreendemos cada pequeno como um ser em desenvolvimento com suas particularidades e levamos em conta a criança, sua família e o entorno, analisando o conjunto bio-psico-sócio-cultural.

auxiliaire-de-puericulture

Como funciona?

Nas consultas, observamos a criança, questionamos aos pais sobre as atividades do pequeno, reações frente a estímulos e realizamos os exames clínicos. É muito importante que os pais possam estabelecer uma relação de mútua cooperação com nós pediatras, tendo alguém de inteira confiança nos casos de dúvidas, pois assim o seguimento preventivo do crescimento e do desenvolvimento de seu filho e nos casos de doença, está nas mãos de um profissional habilitado para cuidar adequadamente da sua criança.

 

É uma especialidade nova?
Não, a Puericultura é algo antigo, mas que está cada dia mais contemporânea, se modernizando ao estilo de vida atual.

 

Vamos entender qual a rotina de consultas da Puericultura?

– Escolha o seu pediatra antes do bebê nascer;

– Faça uma consulta pré-natal, para conhecê-lo e receber algumas orientações além de tirar dúvidas antes do bebê nascer. Peça uma visita ainda na maternidade, para que possa reforçar as orientações de amamentação, tirar suas dúvidas iniciais e conhecer a família;

– O recém-nascido deve ir ao pediatra ainda na sua primeira semana de vida (se tiver ido tudo bem na maternidade), para que seja avaliado o ganho de peso, o crescimento, o aleitamento, entre outras coisas. Depois desta primeira consulta alguns deixam a segunda consulta para um mês de vida do bebê. Mas outros, como eu inclusive, pedem um retorno com duas semanas de vida para ver se a mamada continua tranquila ou não. Só assim esclareceremos um pouco mais sobre o assunto e garantiremos o ganho de peso, o que reflete se a amamentação está indo bem, aumentando as chances de termos sucesso no aleitamento materno exclusivo. Se tudo estiver dentro do esperado, com um mês deve-se ter o segundo retorno;

– A partir daí, sugerimos que as consultas para acompanhamento normal da criança sejam mensais até um ano de idade;

– No início da vida, as consultas devem ser frequentes, pois nessa fase de adaptação mãe-filho, pai-filho, é fundamental uma supervisão próxima, tanto para tirar dúvidas, como para orientações e um acompanhamento que garanta um desenvolvimento e crescimento saudáveis da criança;

– De um a dois anos, em geral, as consultas podem ser bimestrais no primeiro semestre e trimestrais no segundo;

– A partir dos dois anos as consultas podem passar a ser semestrais (após os seis anos devem ser no mínimo anuais);

– Esta rotina volta a mudar no início da puberdade, que na maioria das vezes coincide com o início da adolescência, e daí passam a ser a cada três a quatro meses;

 

Claro que esse parâmetro ocorre se tudo estiver dentro do esperado e a criança saudável, sem nenhum agravo físico, psíquico, alimentar, ou de qualquer outra natureza.

Essas orientações são importantes para o bom desenvolvimento dos nossos pequenos, espero que tenham gostado. Em breve debateremos outros assuntos nesse blog. Aguardem!