Apresentando a alimentação saudável

Olá mamães,

Vamos conversar sobre um dos pontos mais importantes no desenvolvimento de uma criança? Isso mesmo a alimentação saudável é um dos hábitos que precisa ser reforçado, principalmente nos primeiros anos.  O consumo de comidas saudáveis, evita deficiências nutricionais que poderiam causar prejuízos à saúde da criança.

A primeira recomendação é a de manter aleitamento materno exclusivo (AME) até o 6º mês de vida, durante esse ciclo não antecipar a ingestão de alimentos sólidos. Salvo algumas exceções, se seu filho não está em AME e sim com leite artificial a recomendação continua valendo, evite a introdução dos alimentos complementares. Porém após esta idade vamos inserir os alimentos de forma saudável.

Separamos algumas dicas que desvendam o medo de oferecer aos pequenos alimentos pouco nutritivos. Confiram:

Frutas

frutas– Aos seis meses, começaremos com as frutas em papas (raspadas ou amassadas) e depois com as papas complementares (antes chamadas de salgadas). As frutas deverão ser consumidas 2a 3x/dia, e as papas 2x/dia (quando já estamos oferecendo almoço e jantar), pois contribuem com o fornecimento de energia, proteína e micronutrientes, além de preparar a criança para a formação dos hábitos alimentares saudáveis no futuro. Devemos lembrar que esta introdução será gradual e só será completa após os 7 meses de vida do bebê.

– A fruta deve ser consumida in natura, ou seja em forma de papa ou raspada, o suco natural deve ser limitado e, se for oferecido, em pequena quantidade, após as refeições principais para ajudar a absorver melhor o ferro inorgânico. Porém, os sucos não devem ser utilizados como uma refeição ou lanche;

 

Papas Principais

– Antes chamávamos de papas salgadas, mas mudamos o nome para não incentivar o uso do sal. Ou seja, nada de sal para os bebês!

– Os alimentos do grupo dos vegetais podem ser inicialmente pouco aceitos pelas crianças pequenas. Normalmente, elas preferem os alimentos com sabor doce. Por isso, comece com com legumes mais adocicados, como a cenoura, a batata doce e a beterraba.

– A partir do momento que a criança começa a receber alimento, a quantidade de ferro absorvida pelo leite materno deixa de ser suficiente, por esse motivo a introdução de carnes, ovos e/ou peixes, mesmo que seja em pequena quantidade, é muito importante.

legumes

– O paladar é adaptável! Nunca desista de oferecer os alimentos que a criança não aceitou bem nas primeiras vezes, pois pode ocasionar riscos a boa alimentação. Devemos oferecer um mesmo alimento pelo menos 8 vezes a criança para ter certeza de que ela não gosta dele. Ou seja, INSISTA!

– As misturas de alimentos, liquidificados ou peneirados, dificulta a criança testar os diferentes sabores e texturas dos novos alimentos que são oferecidos, o ideal é deixar a criança experimentar as novidades reconhecer os sabores.

– Em relação a quantidade, o ideal é manter um equilíbrio para não sobrecarregar a capacidade gástrica dos pequenos, que podem recusar parte da alimentação, causando ansiedade dos pais. Por outro lado, no caso da criança maior, muita ingestão pode ocasionar uma alimentação excessiva e sobrepeso da criança.

– E claro, para terminar nossas dicas sobre alimentação saudável, não poderia faltar à lembrança de evitar alguns itens que não são recomendados nos primeiros anos de vida da criança: açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinho e outras guloseimas.

Vamos elaborando temas que achamos importantes para debatermos aqui no nosso espaço, mas, se quiserem sugerir, fique a vontade, esse espaço é democrático e gosto de saber a opinião de vocês mamães.